DAPATÚ? Natal fatura 3,3 milhões por mês só em multas

Mais de 222 mil multas de trânsito foram aplicadas em Natal de janeiro a agosto deste ano, segundo dados da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU). O número exato foi de 222.125 autos de infração emitidos tanto por agentes de mobilidade quanto por equipamentos eletrônicos de monitoramento do tráfego, como radares de aferição de velocidade e câmeras.
De acordo com os dados da STTU, a média é de 27.765 multas aplicadas por mês neste ano – o equivalente a 925 por dia e 38 por hora.
Os números foram apresentados pela secretária da STTU, Daliana Bandeira, em entrevista à 98 FM nesta terça-feira (5). Na avaliação da titular da pasta, o dado não é excessivo. “Eu acredito não que seja nenhum número escandaloso”, afirmou Daliana.
As infrações mais comuns são:
Transitar pela faixa exclusiva do transporte público (28%);
Estacionar ao lado ou sobre canteiro central ou divisores da pista de rolamento (7,8%);
Dirigir veículo segurando telefone celular (7,3%);
Deixar o condutor de usar o cinto de segurança (6,3%);
Executar operação de retorno em locais proibidos por sinalização (5,4%).

Sobre a infração mais comum, a secretária conta que, pela legislação do trânsito, veículos particulares só podem transitar pela faixa exclusiva por, no máximo, um quarteirão e desde que forem acessar algum lote ou fazer conversão à direita. Quanto ao estacionamento, Daliana Bandeira enfatiza que deixar o carro ao lado do canteiro central é proibido, desde que haja autorização expressa – como ocorre na Avenida Afonso Pena.
A secretária saiu em defesa dos agentes de mobilidade, que vêm sendo alvos de uma campanha de difamação sem provas. Ela diz que, atualmente, Natal tem 157 agentes de mobilidade trabalhando por dia, em escalas de seis horas – o que significa que cada guarda aplica 3 multas por turno. Isso porque, dos 222 mil autos de infração, apenas 96 mil foram aplicados por agentes de mobilidade. “Não é um número escandaloso e exagerado”, enfatizou.
Quanto ao valor arrecadado, a secretária conta que, de janeiro a julho, foram R$ 23,7 milhões recebidos pela gestão municipal com multas de trânsito. Isso dá uma média de R$ 3,3 milhões por mês.
Sobre a utilização do dinheiro, a secretária afirma:
“Tem um uso restrito. Tem que obedecer a uma resolução do Contran, que dispõe sobre a forma de aplicação dessa receita. É um dinheiro exclusivo. A gente tem que aplicar na educação de trânsito, lombadas que a população tanto solicita, sinalização horizontal, sinalização vertical, sinalização semafórica, aluguel e compra de viaturas, combustível dessas viaturas, fardamento e algumas obras de mobilidade, além de asfalto em algumas situações”.
via 98 FM

Deixe um comentário